terça-feira, março 21, 2017

O outono voltou...
com ele memorias
com ele saudades
Uma certa incerteza paira
ha reflexões sobre amor
E se é amor, acaba?
Se passou não era amor?
Passei essa manha pensando
Até onde sou mais um louco?
Até onde isso é real?
Se a via é de mão dupla
Ate onde é meu limite?
Até ondo posso ir?
Liberdade assistida
Ou prisão consentida
um leve frio dói os ouvidos
daqui escuto pouco, só ruídos
Onde meu "eu" foi perdido?
"Va devagar" dizia o coração
Eu estava entorpecido
duas doses de carência
Multiplicou a libido
Baixei a guarda
fui derrotado, invadido
E o que era conhecimento
me fez tolo, iludido
Aprendendo as regras do jogo
me sinto menos perdido

Comentarios

Total de visualizações de página

Loading...

Seguidores

Agora

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem sou eu

Estou a me procurar sempre, todo dia quando acordo, toda noite enquanto durmo. Como um canceriano sonhador, me procuro em tudo a minha volta. O beijo não dado, o silêncio no canto da sala Por isso me procuro, tentando ser eu mesmo. Sem me importar com julgamentos alheios Homem de humor fleumático Menino que sabe o que quer Sou feito de pele, carne e osso Um amante do que é novo Sobrevivente dos amores platônicos Sou dono do meu nariz Sei que estou aprendendo muita coisa, nada tem acontecido em vão. Sou uma pessoa que precisa ser forte e cada dia mais Preciso de amigos... Minha família é minha base Só não preciso provar nada pra ninguém Continuo crescendo, aprendendo, me fortalecendo... Todos os dias quando acordo...