Ser Criança

segunda-feira, janeiro 31, 2011


Não tenho pressa, estou tranqüilo
É mãe pra tudo, quero aquilo
Não sei gosto, não sei nome
E quando é noite, por que o sol some?
Doce é tudo, pra que banho?
Papai, quando eu terei seu tamanho?
Sou um mágico, astronauta
Vovó diz que sou peralta
Mil amigos na escola
Alegria de correr, pular e jogar bola
Na volta pra casa tem desafio
Quem anda mais no meio-fio
O dia inteiro é correria
Poder voar é o que eu mais queria
Ser super-homem, homem-aranha
Mamãe não gosta que eu faça manha
De bicicleta, correr ladeiras
Para um dia quente, banho de mangueira
Bolinha de gude, rodar pião
Antes do almoço, lavar as mãos
A gente anda, corre, pula e dança
Como é bom poder ser criança

Foi...

sexta-feira, janeiro 28, 2011


Então não somos mais os mesmos
Novos sonhos, novos rumos...
A musica que ouço agora me traz sua saudosa lembrança
Um perfume, um sabor
Que talvez nem nos meus sonhos mais fantasiosos eu reencontre
Uma historia, minha historia...
Fundindo-se com a de tanta gente
Amores e desamores, ilusões, amigos de verdade e grande inimizade
Minha vida aumenta a cada dia uma pagina
Vai se transformando, tomando rumo ao desfecho final
Esse que tanto me assusta
Com imenso esforço tento manter-me focado no que me espera adiante
Parte do meu passado insiste em me assombrar
Tentando me enfraquecer, tentando me fazer acreditar em mentiras
As vezes eu queria fugir, parar tudo e apenas seguir meu caminho
Mas qual seria esse?
Meu passado era tão mais certo; talvez isso tenha me traumatizado
As coisas que tanto sonhei
A felicidade que tanto esperei
Não vieram das mãos que pareciam certas
Tudo isso me faz agora ser reticente a cada nova noticia do meu futuro.
O fogo que até então não sossegava em meu coração começa agora a esfriar
Vou escrevendo minha historia
Tentando não fazer do meu passado nada alem do que ele foi...
Um sonho, lindo sonho que se foi...

Sem entender

segunda-feira, janeiro 24, 2011


Pior entorpecente, o qualquer sentir
Assim, que prazer
Provando o que não se pode: O proibido.
Tendo o sangue a ferver, pura libido
Chorar por viver, viver de prazer
O que é pior?
Nunca sei o que posso fazer
E o ontem é o passado
Logo acordo, meu corpo cansado
Mais um sol e a noite se foi
Não era domingo nem feriado
Alegria, tristeza, amor
Não há sabor mais amargo
Um dia de tédio, suportável dor
Fico então mais eu
Pensando no ontem
Quando a chuva caiu
Eu fui embora e você não viu
Estou sem entender...
O que será que aconteceu?
Passam anos nessas horas
Fiquei em algum lugar de ontem
Pensando em você agora

Eu amo você

quinta-feira, janeiro 20, 2011


Você e eu
Impossível dizer se foi simples acaso
Ou obra do destino
Você tem atitude de homem
E um coração de menino
Sem intenção alguma
Entre nós algo mudou
Não consigo te ver com simples olhos de amizade
Foi tudo tão perfeito
De repente, seu beijo
Me pego pensando se não foi um sonho
Coisa de desejo
Você conseguiu me conquistar
Fez-me sentir como nunca antes
Esse seu jeito
Falando as palavras secretas
Fez morada em meu coração
Fez meu mundo virar de pernas pro ar
Viajar pelo espaço sem sair do lugar
Minha esperança estava perdida
Momentos para mudar uma vida
Você me mostrou sentimento real
Em um mundo superficial
O que sinto por você é singular
Sentimento que aprendi no verbo amar
Meu sonho eu vou realizar
Sei que sou capaz...
Sei onde quero chegar
Toda vez que eu me pego sozinha
É em você que estou pensando
Até já sei o porque...
Lembro da noite, nossa lua cheia
Eu amo você 

Eu... ser-humano

terça-feira, janeiro 18, 2011


Sou poeta, sou humano
Tenho sonhos, certezas e enganos
Busco palavra, busco rimas
Faço flores com canetas e papeis
Basta uma folha em branco
 E um tempo vago.
Me liberto, me entrego
Libero o que há no fundo
Já não sou o de antes
Numa cor, num dia de chuva
Num olhar, um sorriso
Quando estou apenas comigo
Desfaço-me em pedaços
Retorno inteiro em um abraço
Apenas eu comigo mesmo.



De tarde

sexta-feira, janeiro 14, 2011


Um instante, a solidão
Sigo carros com meus olhos
Eu me perco em fumaças
Cigarros e tragos, te vejo, te resgato.
Te trago pra mais perto
Me esqueço de mim
Saio do meu caminho certo
Respiro fundo, é seu perfume
Fico atento ao que me paralisa
Você...
Nada mais é frio
Nem importa...
Nem mesmo a tarde, antes vazia



Nunca esta errado

terça-feira, janeiro 11, 2011


De peito aberto, não desarma
Enfrenta, se tropeça não leva pra casa
Vingança é sua lei
Batalha é seguida
Nunca mais ama, isso jurou
De cabeça erguida
Te desaponte e verá
Sem tolerância, da o troco
Não se troca por ninguem
No coração há feridas
A vida ee fez assim
Não quer saber
Teima em querer
Certeza não tem
Nem tudo é tão fácil
Nunca esta errado
Vai se juntando em pedaços
Sem ética  e sem razão 
Desistir não vai...


Caçando Estrelas

domingo, janeiro 09, 2011


Procurado me encontrar, eu me perdi
Sem perceber que ao me estar com você
Eu me prendi
Meus braços agora, sem força
Minha voz já não tem mais som
As lagrimas de dor que rolam
Já quase não as percebo, rolam e caem ao chão
Já não sou mais pequeno.
Mas me sinto indefeso
Um barco desbravando o mar
Sem rumo
Apenas com um forte desejo de poder chegar
Buscando estrelas e seguindo sonhos
Um lugar para ancorar
Anseio de amizade, um sorriso, um par.
Com grandes afinidades e alguns pra contrastar
Amigável vinda, incansável busca
De um bom lugar para ficar



Escolhas

quinta-feira, janeiro 06, 2011


Aliviando a dor que sinto aqui no peito
O efeito do álcool me deixa alto, felicidade instantânea
Descarrego por alguns minutos a dor de não ser ouvido
O peso de ser anulado,
Querendo ser eu de novo
É a solidão ao seu lado...
Penso nas escolhas que faço
Pergunto-me se as fiz certo
Só o tempo poderá me responder
Escondo-me pra ser eu mesmo
Tentando ser o que você quer que eu seja
Não por amor... por isso não me excluiria
Por nossa amizade que tanto prezo
Não é feliz a prisão, por maior que sejam as grades
Ver o que quero mas não há alcance
O pouco que tenho esta em minhas mãos
Sei que a felicidade esta no meu momento
No meu agora...
Mas agora estou sozinho
Segurando-me para te fazer feliz






Meu intimo

segunda-feira, janeiro 03, 2011


É mar, é chão, meu sustento
Você na areia reina firme
Um castelo de cartas não lidas
Cartas escritas de coisas não ditas
Nesse silencio tudo leio
Meu corpo pede, puro anseio.
Em um suspiro, me alivio
Eu mato a sede
Abraçar você, deitar na rede
É mar, é sal no chão
São braços, pernas, as suas mãos
Em cor, em carne é tudo vida
Tempo e espaço, não tem saída
Sigo no cego, sem rumo certo
É bom sentir seu corpo perto
Um segredo revelado, meu intimo
Em sentimento, nossos instintos
É boca, é pele, é tato...
Sob as estrelas, nos revelamos de fato. 

Comentarios

Total de visualizações de página

Loading...

Seguidores

Agora

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Quem sou eu

Estou a me procurar sempre, todo dia quando acordo, toda noite enquanto durmo. Como um canceriano sonhador, me procuro em tudo a minha volta. O beijo não dado, o silêncio no canto da sala Por isso me procuro, tentando ser eu mesmo. Sem me importar com julgamentos alheios Homem de humor fleumático Menino que sabe o que quer Sou feito de pele, carne e osso Um amante do que é novo Sobrevivente dos amores platônicos Sou dono do meu nariz Sei que estou aprendendo muita coisa, nada tem acontecido em vão. Sou uma pessoa que precisa ser forte e cada dia mais Preciso de amigos... Minha família é minha base Só não preciso provar nada pra ninguém Continuo crescendo, aprendendo, me fortalecendo... Todos os dias quando acordo...